Máscaras como metáfora da criação artística

Atualizado: 21 de Out de 2020

Fernanda Esteves Fazzio

Imagem: Alexandre Krug - Fotografia do espetáculo "Entre Esperas"


Resumo A presente pesquisa em é um exercício de articulação entre uma teoria psicanalítica organizada acerca do conceito do estranho (unheimlich), do duplo na compressão da criação artística compreendida como ato lúdico. Articula-se, sobretudo, uma conceituação acerca das máscaras do teatro, conforme o pensamento Escola Internacional de Teatro de Jacques Lecoq com as questões inconscientes (unheimlich), relacionando as máscaras como metáfora da criação artística. Intersecções entre a arte e a psicanálise, ambas compreendidas como espaços da ilusão, da fantasia, dos desejos e das inquietações, contam com o respaldo teórico de Sigmund Freud, Sarah Kofman e Oscar Cesarotto.

Texto completo em:

https://revistas.pucsp.br/leituraflutuante/article/view/23756

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo